segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Um fiasco chamado "Instrumentos Mortais"

Pegar carona no sucesso de Harry Potter, Jogos Vorazes, Crepúsculo e afins, e criar um novo produto para consumo nos cinemas.

Esse é o "Velo de Ouro" dos investidores que teimam em lançar adaptações literárias para a tela grande. A nova aposta da vez tem nome: Instrumentos Mortais - Cidade dos Ossos, que estreou no último final de semana.

Pelo resultado obtido nas bilheterias ianques, a franquia talvez não tenha vida longa. A adaptação do livro de Cassandra Clare estreou apenas em terceiro lugar no hanking dos mais vistos no último final de semana (dados do Box Office Mojo) e a crítica especializada vem massacrando o longa.

Elenco pouco inspirado, trama esquecível, cenas piegas, excesso de personagens principais, além daquela cara de "prato requentado" são alguns dos problemas citados nos comentários. 

Claro que se o público lotasse as salas de exibição, os problemas citados seriam fichinha. Contudo, ao que tudo indica, Instrumentos Mortais não caiu mesmo no gosto do público. O filme custou 60 milhões de dólares e só arrecadou 14 nos EUA. Ainda falta o resultado mundial. Mesmo se pagando, a franquia dificilmente se tornará um arrasa quarteirão limitando-se apenas ao consumo dos seus fãs/leitores. 

2 comentários:

Anônimo disse...

talvez não tenha sido o sucesso que fora esperado pelos autores do filme mas a história não é ruim, pelo contrário é fantástica, e um filme não pode ser considerado um "fiasco" simplesmente porque não lucrou-se o esperado. A saga Crepúsculo por exemplo, o filme não teve nada de especial, mas lucrou muito. na minha opinião, um filme não pode ser avaliado como bom ou ruim baseando-se em bilheterias, e sim na qualidade do filme.
péssimo artigo! E se querem uma sugestão, tratem de "observar o cinema" de outra forma por que essa é horrível!

Raildon Lucena disse...

Opa, prezado. No artigo apenas destaco quando o filme foi lançado com algumas opiniões que li no Rotten Tomatoes. Foi mal de público e de crítica. Ou seja, a questão da crítica nem importaria tanto (Caso de Crepúsculo, como você mesmo citou), mas deu pouca gente nos cinemas. E isso, de certa forma, inviabiliza o longa para outras incursões no cinema ( a falta de grandes públicos). É apenas um ponto de vista de mercado. Contudo, pelo que fiquei sabendo, a marca terá outros filmes. Vamos aguardar. Forte abraço!