sábado, 30 de maio de 2015

Crítica: A Incrível História de Adaline


A premissa de A Incrível História de Adaline é curiosa e chama a atenção. Após um acidente, uma mulher (Blake Lively) para de envelhecer ficando com uma aparência de 29 anos. As décadas passam e nada muda. 

Com medo de se tornar um objeto de estudo, ela continuamente foge e assume outra identidade. O filme mostra o dilema de uma pessoa que se sente fora do eixo natural e que não pode se envolver com ninguém em decorrência dessa sua capacidade. 

A trama tinha potencial, mas não consegue se desenvolver bem. Falta uma narrativa mais consistente diante do drama proposto. Lembra a temática de O Curioso Caso de Benjamim Button, de David Fincher. A conclusão é aquela típica solução dos filmes preguiçosos, que apresentan um problema e resolvem só para entregar um happy end. Desse jeito, A Incrível História de Adaline não faz jus ao título.

Avaliação: ★1/2

2 comentários:

RaquelBRZ disse...

Ainda assim, quero assistir e tirar minhas próprias conclusões!

Soy Sofia Maror disse...

É uma grande história que tem um grande elenco. Juventude, (não tão) divino tesouro, você não acha? The Age of Adaline é um filme com um bom acabamento técnico e com grande atenção sendo uma fita elegante. O filme convence o espectador desde o início. Irradia um certo magnetismo para essa aparência muito refinada, a narração (voice-over) que vamos introdução na história e vamos desvendar esses dados científicos necessários. Tudo isso forma um produto para consumo fácil, sem pretensões, mas é divertido e saboroso para ver. Teremos que prestar atenção para ver se a atriz Blake Lively tem mais chance de mostrar algo mais do que um sorriso.