terça-feira, 18 de março de 2014

Top 10: Filmes para curar a insônia

Dias atrás escrevi um texto sobre adaptações de HQ que mereciam a lata do lixo. Uma forma irônica de ressaltar a ruindade de certas produções que são jogadas no mercado.

Hoje, continuo a saga do Top 10 com filmes que mereceram uns belos cochilos. O motivo? Chatos demais, aborrecidos, tramas bobas e sem nexo coisas do tipo. Nem são, necessariamente, filmes ruins. Mas, são produções em que terminei cochilando. Obviamente, é uma listinha bem pessoal e não deixa de ser uma maneira de homenagear o tédio que certos produtos cinematográficos provocaram neste escriba.

Star Wars: Episódio 1 - A Ameaça Fantasma: Vi a primeira vez em tela grande. Dormi. Depois tentei com o DVD. Outra soneca. O ápice do sono? A tão falada corrida onde o jovem Anakin Skywalker prova que é um piloto dos bons. Sinceramente, o retorno da série Guerra nas Estrelas bem que merecia um filme menos chato e burocrático. O segundo "Ataque dos Clones" continuou no mesmo ritmo. Ainda bem que A Vingança de Sith melhorou o quadro, até então, entediante.

Lara Croft: Tomb Raider: Quando anunciaram que Angelina Jolie iria interpretar a musa dos games eu me animei. Ledo engano. Bastou o filme começar para absorver uma história fraquinha, fraquinha, que nunca engrena e apela para uma trama mirabolante e piruetas de Jolie de shortinho e aquela carinha sexy que só ela sabe fazer (única parte interessante dessa bomba). No mais, não resisti ao sono nessa aventurinha de quinta categoria.

Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal: Um dos meus personagens preferidos voltou aos cinemas nessa produção desordenada que tenta, em vão, resgatar o espírito das aventuras do arqueólogo mais legal dos filmes. E o problema não é nem o fato de Harrison Ford não ter mais o pique de antigamente. O que falta por aqui é uma história que valha a pena ser contada. Até que tentaram passar o bastão para Shia Labeouf, mas, não dá né?

Transformers 1, 2 e 3: Confesso que por mais que tente não consigo diferenciar um filme do outro. Assisti toda a trilogia de teimoso que sou e nunca, mais nunca, lembro o roteiro de cada um. É como se estivéssemos vendo o mesmo filme, com míseras alterações. A maior delas? A saída de Megan Fox na terceira parte. O próximo Transformers mudou até o protagonista, agora é Mark Whalberg, mas o primeiro trailler continua no repeteco.
O Retorno da Múmia: Eu até que gosto da franquia com Brendan Fraser. O primeiro tem lá suas piruetas e é bobo que só ele. Mas, essa segunda parte é tão alucinada que Morfeus não teve pena. Dormi feito uma pedra. O diretor Stephen Sommers é hábil em realizar essas sandices energéticas onde tudo é tão acelerado e todo mundo corre o tempo todo, não tendo como evitar o cansaço.

Flores Raras: Até que tentei ver esse filme até o fim. Mas as personagens são tão chatinhas e a história é tão entediante que fiz um esforço hercúleo para terminar de vê-lo. Vi muita gente falando bem de Flores Raras, mas acho que o filme nem tem pegada, muito menos química entre as atrizes. Até pensei em rever, mas deixei pra lá. Futuramente, quem sabe. Hoje mesmo, prefiro jogá-lo no limbo.

O Hobbit: Uma Jornada Inesperada: Penso que fui com muita ânsia ao cinema para ver o retorno dos Hobbits, Elfos, Magos e Anões nesse "épico por antecipação" de Peter Jackson. Como a proposta era financeira mesmo, o mais-do-mesmo, a falta do que fazer, os excessos generalizados e tudo mais provocaram um certo enfado. A Desolação de Smaug, por mais caça-níquel que seja, pelo menos é mais prazeroso de ver.
Lanterna Verde: Como esqueci de Hal Jordan entre as piores adaptações de HQ, faço questão de colocar essa lerdice entre os filmes mais sonolentos que já vi. Putz, o personagem é até legal, mas essa comédia involuntária tem uma das tramas mais equivocadas, absurdas e sem-graça dos últimos anos. Nem colocando um esparadrapo nos cílios dá para vê-lo até o final sem cair numa soneca. Vai ser chato assim na caixa-prego!

Lula, o Filho do Brasil: Uma das cinebiografias mais chatas e equivocadas do cinema nacional. Você fica em dúvida se é um filme mesmo ou uma propaganda publicitária. O fato é que a história do ex-presidente Lula merecia um roteiro melhor, mais redondinho. O resultado é uma obra sem emoção que só deve agradar a quem falar que é bom e ponto final! Sem querer entrar na seara política, a história poderia render mais do que essa peça travada e que só provoca bocejos.

Detalhe: a lista não tem ordem de "preferência" e foi feita segundo fui lembrando.

Um comentário:

Celo Silva disse...

Fala, grande Raildon! A maioria aí são bons soníferos mesmo, só discordo de o Hobitt, o qual tenho algum apreço.

Por ora, o Espectador Voraz tá aposentado. Meu Blog agora é o Cinerama: http://www.portalcinerama.com/

Já linkei teu Blog lá na nossa page, se puder fazer o mesmo, a casa agradece.

Agora que estou menos enrolado e definido, estarei aqui com mais frequência lendo o seu estimado espaço.

Grande Abraço!